Passeios

Welcome to Dias Ferreira!

Como diria a música da Carmem Miranda: o que é que a baiana tem? Só que, no caso, deveríamos dizer: o que é que essa rua tem?

A resposta é simples: a Rua Dias Ferreira, no bairro do Leblon, tem tudo: é charmosa, bacana, descolada e todas essas palavras inventadas para expressar as coisas que são muito legais. A Dias Ferreira vai além de point gastronômico. Passear pela Dias Ferreira é um programa! Aqui vai a sugestão de um pequeno roteiro para quem quiser dar um “rolé” por lá.

Comece pelo fim. Pelo fim da rua, ou melhor, pelo lado da Rua Bartholomeu Mitre.

Chegue na hora do almoço direto para o CT Boucherie, do chef Claude Troisgros. Os grelhados com acompanhamento são um must (you must have this experience!). Escolhe-se um tipo de carne (pode ser galeto ou salmão, para os adeptos da carne branca) e acompanhamentos vão passando pela mesa. Do puré de maçã com maracujá, ratatouille, arroz maluco, puré de abóbora, batata baroa, tomate assado, feijão branco, enfim, é uma opção melhor que a outra! De comer rezando….

CT1-

 

Depois, dê uma esticada na Sorveteria Brasil, logo ao lado. Há várias opções de sorvetes de fruta, que são os “carros chefes” da casa. Peça logo duas bolas, porque é difícil escolher um só sabor.SORVETERIA BRASILSORVETERIA BRASIL

SORVETERIA BRASIL

SORVETERIA BRASIL

Agora, seguimos para o passeio porque a tarde promete!! A terceira parada ainda é nessa quadra: loja de acessórios Frida Khalo. Lá há camisetas, brincos, pulseiras, quadros e objetos super coloridos, bem ao estilo da pintora mexicana.

FRIDA ACESSORIOS-2

FRIDA ACESSORIOS-3

FRIDA ACESSORIOS-4

 

Próxima parada: Bel Trufas – a melhor trufa do Rio! As meninas que atendem são super simpáticas e a própria Bel está sempre por lá. Tome um café e coma uma trufa (ou duas!). Há a tradicional, de limão, crocante, café, limão siciliano, pistache, ovomaltine e outras delícias.

BEL TRUFAS-1

BEL TRUFAS-2

BEL TRUFAS-3

BEL TRUFAS-3

Dê uma espreitada na Poeira, loja de decoração com tudo que há de mais in para decoração dos moderninhos.

POEIRA

 

Amou aquela luminária, mas não pode comprar no momento? Não fique triste e siga para a Casa Granado. Lá você vai se deliciar com os cheiros e as embalagens lindas dos produtos. Os sabonetes de glicerina são bárbaros e a linha Pink é demais! Quem curte cremes e afins vai ficar doida. Há uma linha para bebês e uma linha para cães, porque eles também merecem, não é? Por ser inicialmente uma farmácia, a Granado tem uma filosofia de tratamento e vários produtos com esse fim. Não há como sair sem uma sacolinha…

GRANADO-1

GRANADO-2

GRANADO-3

GRANADO-4

 

Atravesse a rua. Seguiremos para a Livraria Argumento. Um charme à parte, a Argumento é daqueles lugares que a gente entra e não quer sair. O pessoal é simpático, te ajuda em tudo que você precisar e ainda tem o Café Severino que é super agradável. Se der, beba um café e deixe pago um ‘café para o próximo’, que nada mais é que pagar um café para alguém que você não conhece (e provavelmente nem vai conhecer) que ainda virá a aparecer por lá. A seção de livros infantis é gostosa demais! A criançada adora e fica horas ali. E nós incentivamos porque – inspirando no poetinha – leitura é fundamental!

ARGUMENTO-1

ARGUMENTO-2

ARGUMENTO-3

ARGUMENTO-4

CAFE SEVERINO-1

CAFE SEVERINO-2

CAFE SEVERINO-3

CAFE SEVERINO-4

 

Avance para a próxima quadra e vá à A&C Album. Se gosta de scrapbook e coisas bonitas, vai ficar louca! Há oficinas de scrap, biscoitos, doces e outros e é possível fazer álbuns personalizados (sob encomenda ou você mesmo montar). Para quem gosta de novidades, é de perder a cabeça!! Atenção: a A&C Album e Scrap fica na sobreloja em cima do restaurante Brigitte’s. Há uma escada ao lado que dá acesso à sobreloja.

A&C-

A&C-1

A&C-2

A&C-3

A&C-4

A&C-5

 

Cansou de andar? Está com dores nos pés? Vá comprar umas espadrilles na Felipa. A loja só vende espadrilles e há imensas opções: rasteiras, baixas, altas, super altas. E as cores? Nem te falo… É a cara do Rio. Faça como na loja de sorvete: leve logo duas :)

FELIPA-1

FELIPA-2

FELIPA-3

 

No fim, para descansar, marque com aqueles amigos queridos, ou com o marido/namorado ou ainda com todo mundo junto
e vá jantar no Quadrucci ou comer uns aperitivos no Pipo (do Felipe Bronze). No fim das contas, o que vale mesmo é o programa legal que acabou de fazer!

*Não posso deixar de citar o Celeiro, restaurante maravilhoso e super tradicional que só existe no Leblon e só abre para almoço, de segunda à sábado. TUDO é bom!! As saladas são incríveis e os doces…. não dá para não experimentar.

**Essa é apenas uma sugestão de roteiro. Obviamente a rua oferece muitas opções de restaurantes, de lojas, de serviços, mas para não me estender muito tive que fazer uma seleção do que faria em um dia de passeio por lá!!

Espero que aproveitem as dicas! Abaixo os sites de cada local:

http://www.ctboucherie.com.br/

http://www.sorvetebrasil.com.br/

http://www.beltrufas.com.br/

http://www.poeiraonline.com/html/loja.asp

https://www.granado.com.br/

http://www.livrariaargumento.com.br/

http://www.acalbum.com.br/

http://www.felipa.com.br/

http://www.quadrucci.com.br/

http://www.piporestaurante.com/

http://www.celeiroculinaria.com.br/

 

Até a próxima!

Analu

Você pode gostar também

  • Pingback: Vanessa Smith()

    • Thata Monteiro

      Wow! That’s great Vanessa. Thank you for follow me ;)

  • Pingback: Gregory Smith()

    • Thata Monteiro

      That’s sounds great Gregory! Thank you very much, I’m so happy to know this.

  • Pingback: Quadrucci e Venchi no Leblon | A Cara do Rio()

  • Pingback: Comprinhas rápidas na Galeria Menescal | A Cara do Rio()

  • Marina Zipser Granzotto

    Ana!
    Amei tuas dicas!
    No feriado de 01º. de maio, depois de anos, retornei ao Rííííooo. Ahhhhh, que lugar lindo!!
    Passei um dia passeando pelo mesmo trajeto, não necessariamente visitando os mesmos estabelecimentos que tu, mas aí vão os comentários de uma catarinense que amou perambular pela Dias Ferreira. Foram dois dias pela ‘Dias': um eu só almocei no CT Boucherie – aliás, que primor! E tomei um sorvete (ou melhor, gelatto como a ‘simpática’ atendente me corrigiu). Tirando o excesso de simpatia – não sabia que sorvete não estaria certo, rs, a ‘sorveteria’ Velchio dá um banho.
    A tradição deles, pelo que vi, é para os chocolates, mas mama mia, o que são os sorvetes? Gsuis, amei. Meus sabores preferidos de lá: chocolate com pedacinhos de cacau e café. Imbatíveis.
    No CT Boucherie o que me deixou impressionada foram três fatores, nessa ordem: a carne – de mega qualidade (eu comi um corte de dar inveja a muito argentino), o local intimista (adourooo e achei o máximo) e o chuchu.
    Sim, o chuchu, porque a catarina que vos escreve, aliás, muito prazer :), nunca suportou chuchu. E lá criei coragem e experimentei. De cair da cadeira de susto e de costas, muito bom. Pudera, eu logo imaginei que não foi uma escolha aleatória, é muito difícil acertar chuchu daquele jeito.
    No dia seguinte fui para passar o dia todo passeando, a meu modo: descobrindo, futricando, explorando e me divertindo! Ahhhh, e com tempo…
    Comecei pela Frida. Comprei um ‘pingente de luz’ de São Jorge e uma pulseirinha do Cristo. Adoro símbolos, e também curto carregá-los comigo, se possível. E proteção só ajuda, não é mesmo? Rsrs.
    Nessa loja ainda dei conta de presentes pra pessoas especiais, porque afinal de contas ninguém é de ferro!
    Em seguida almocei no Belmonte. Sozinha, na mesa que deve ser uma das mais disputadas da ‘galera’ (é que cheguei cedo e, ao contrário dos que foram aparecendo por lá, eu estava de folga do trabalho). Sou advogada em Floripa e me dei um descanso merecido. Pedi um dourado grelhado com arroz de brócolis, maravilhoso! Ah, e chopp, dois chopps, na realidade. Como uma boa alemãzinha do sul não poderia deixar de apreciar o chopp. Cerveja é meu forte, inclusive, paixão nacional e também a minha, mas me contentei com o chopp. Gelado no ponto, aliás, estava mara.
    Parei na Granado. Pra mim o melhor lápis de olho azul da atualidade e que eu já cheguei a experimentar. Deve haver outros, mas este me atende maravilhosamente bem!
    Voltei na sorveteria Velchi. Dessa vez não cometi a ‘gafe’ e já saí com o meu ‘sempre sorvete’ garantido.
    Aí entrei na Argumento. Ploft, morri.
    Fiquei lá por quase três horas. Como eu amo curtir uma livraria com tempo e sem ninguém me apressando, ah, um sonho! Deixei minhas aquisições por lá, que variaram de moleskine com a ‘cara do Rio’ a dicionário de alemão – que eu não estava encontrando em Floripa. Só busquei no dia seguinte, rs, de carro. Foi, de longe, o lugar que mais gastei em toda a viagem pro Rio.
    Segui meu passeio. Fiquei com vontade de voltar no sorvete, mas para não xingar a balança depois, resolvi contornar a praça do Cazuza e parar no café ali próximo, o Cafeína Bistrô. Adquiri uma água com gás e uma caneca, que é um souvenir que também muito aproveito depois das viagens, seja para acompanhar meu café, ou o chá.
    Segui ‘descendo’ a rua. Comprei coisinhas de casa, aquelas que a gente pode carregar sozinhas mesmo, mais outras várias garrafinhas pet de água com gás – cujo hábito me obriga a paradas ótimas, sempre conheço mais e mais lugares e pessoas solícitas -, e terminei numa ‘parada’ que talvez nem os mais cariocas tenham feito: comprei autênticas havaianas numa peixaria em pleno Leblon!
    Isso mesmo, havaianas. E sim, lestes certo: numa peixaria! É que a doutora aqui não soube escolher o calçado mais adequado pro passeio e acabou indo de scarpim, bobinha.
    Com isso resolvido – descanso merecido pros meus pés e mente – embarquei num táxi e fui embora, feliz da vida! Ah, mas louca pra voltar muitas vezes!
    Quando vier a Florianópolis, por favor, não deixe de me avisar. Tenho vários locais super legais pra compartilhar contigo! E pessoas que ficaram felizes em te conhecer, :)
    Abraços,
    Marina