Casa e decoração Shopping Gávea
Destaque O que fazer no Rio

50 coisas que você precisa fazer no Rio de Janeiro

coisas que você precisa fazer no Rio de Janeiro

Tem coisas coisas que só a gente que é carioca (já falei que sou, né), nativo ou por opção, sabemos bem: há muito o que conhecer por aqui nessa Cidade Maravilhosa. Mas há coisas muito imperdíveis pra fazer ao menos uma vez na vida no Rio. Algumas bem clichês, que precisam estar na lista.

1. Aplaudir o pôr-do-sol no Arpoador
Um dos maiores clichês cariocas que eu já fiz e vivo falando pra fazerem.  Pois o pôr-do-sol na Praia do Arpoador é de uma beleza tão singular que é motivo para muito cartão postal. É difícil conter a emoção do momento e não aplaudir.

2. Tomar mate gelado e comer biscoito Globo na praia
Também é um dos meus favoritos! Isso porque são dois patrimônios cariocas, o mate gelado de galão, vendido na praia, e o biscoito de polvilho O Globo. São os mais vendidos e desejados nas areias. Porém a dúvida é escolher entre o biscoito doce ou salgado. Além disso, se quer chorinho de mais limão ou mais mate no copo!

3. Andar no Bonde de Santa Teresa
Fiz esse passeio há pouco tempo, e mostrei lá nos stories do Instagram (@thailisemonteiro e @acaradorio). O bondinho é o símbolo do bairro e está todo reformulado. O trajeto se inicia no centro da cidade, passando sobre os Arcos da Lapa e seguindo pelas ladeiras do bairro. Além disso, passa por pontos turísticos como a Igreja e Convento de Santa Tereza, o Largo do Curvelo e o Parque das Ruínas.

Onde: Estação dos Bondes, ao lado do Aqueduto da Carioca, na rua Lélio Gama – Centro

4. Noite na Lapa
Tem que vivenciar o clima do bairro mais boêmio do Rio de Janeiro, totalmente ligado ao samba. Mas há várias opções culturais para todos os gostos. Tem muitos bares e casas de show de vários preços, a Lapa é imperdível! Tanto para comer as comidinhas típicas do Rio, quanto para dançar.

5. Saltar de asa delta na Pedra Bonita
Fácil chegar até a rampa da Pedra Bonita, o caminho é pouco íngreme e com poucos obstáculos, se for bem cedo dá para deixar o carro super próximo da rampa. A trilha da Pedra Bonita fica dentro do Parque Nacional da Tijuca e é ótima para fazer e ter um visual lindo do Rio, tem post aqui.

6. Curtir um rock no Bar Bukowski
O bar de rock mais antigo do Rio fica em Botafogo. Instalado em um casarão tombado, o Bukowski – em homenagem ao “velho safado” escritor germano-americano – tem vários ambientes. Às sextas tem happy hour – chamado de drunk hour – e o bar abre mais cedo.

Onde: Rua Álvaro Ramos, 270 – Botafogo

7. Tomar banho de cachoeira no Horto
Localizada na região do Jardim Botânico, é a cachoeira mais famosa do Rio. Tem uma queda d’água de 20 metros, que depois forma uma pequena piscina. Uma das belas cachoeiras originadas pelo Riacho Pai Ricardo.

Onde: Rua Pacheco Leão, Estrada Dona Castorina. A trilha é logo depois do Portão dos Macacos

8. Passear no Bosque da Barra
Muita gente não conhece, mas é uma paisagem incrível na Barra da Tijuca. Não apenas tem uma área equivalente a 50 campos de futebol, como também é ideal para piqueniques, caminhadas e passeios a pé. Enfim, confira nesse post.

Onde: Avenida das Américas, 6.000 – Barra da Tijuca

9. Bater um papo com Carlos Drummond de Andrade
“No mar estava escrita uma cidade”. A frase está gravada no banco onde está sentada a famosa estátua do poeta, que fica na Praia de Copacabana. É o segundo monumento mais visitado da Cidade Maravilhosa, perdendo apenas para o Cristo Redentor, sabiam?

Onde: Avenida Atlântica, s/n – Copacabana

10. Curtir um show no Circo Voador
Sem dúvidas uma das mais importantes e emblemáticas casas de show do Rio de Janeiro, o Circo Voador tem o palco voltado para os Arcos da Lapa. Além disso tem capacidade para receber até 2.000 pessoas. Por isso tem uma energia surreal de carioca aquele lugar! Já passaram apresentações históricas por lá, tanto nacionais quanto internacionais. Falei mais sobre ele aqui.

Onde: Rua dos Arcos, s/n – Lapa

11. Tomar um chope no Jobi
De lei, outro reduto da boemia carioca – que fica no Leblon – é o Jobi, aberto desde 1956. Um dos chopes mais famosos da cidade, é um espaço pequeno mas sua calçada lota e fica bem animada. Peça um bolinho de bacalhau ou a rã à dorê.

Onde: Avenida Ataulfo de Paiva, 1166. Loja B – Leblon

12. Ver uma peça ou exposição no CCBB
Localizado na Candelária, no centro do Rio, o Centro Cultural Banco do Brasil tem linhas neoclássicas projetadas por Francisco Joaquim Bittencourt da Silva em 1880. Em outras palavras, lugar lindo que abriga ótimas exposições, festas, espetáculos e shows.

Onde: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

13. Visitar 5 praias desertas em Barra de Guaratiba
São praias paradisíacas na Zona Oeste do Rio, distante das badaladas e movimentadas praias da Zona Sul. É ideal para quem busca sossego e belas paisagens. Visite a praia dos Búzios, do Perigoso, do Meio, Funda e do Inferno. São diferentes níveis de dificuldade no acesso a elas e recompensas encantadoras.

14. Comer a batata frita de Marechal
A lenda do subúrbio! A batata frita vendida no bairro de Marechal Hermes já foi pauta de muitas matérias e eventos e atrai os curiosos de várias partes do Rio. O nome do lugar que vende é ADM lanches, e lá o cliente pode escolher vários acompanhamentos como frango, calabresa, cheddar e muito mais.

Onde: Rua João Vicente, 1543 – Marechal Hermes

15. Andar no bondinho do Pão de Açúcar
Clichê que jamais pode faltar! Um dos mais famosos cartões-postais do Rio, o Pão de Açúcar tem uma vista de 360°, contemplando diversas praias e até a vizinha Niterói. O bondinho é super seguro e rápido, o caminho é feito em duas etapas: primeiro até o Morro da Urca, que tem vários restaurantes e é constantemente palco de eventos famosos na cidade, e depois até o Pão de Açúcar, onde há menos restaurantes e tem uma loja de souvenires.

Onde: Avenida Pasteur, 520 – Praia Vermelha

16. Visitar o Cristo Redentor e as Paineiras
Desde que me mudei para o Rio e fui a primeira vez até lá, muita coisa mudou para melhor. O maior símbolo da Cidade Maravilhosa – o Cristo Redentor – ganhou um novo centro de visitantes em 2016 com uma ótima infra-estrutura (restaurantes, museu, loja) e é muito mais procurado por turistas do que pelos próprios cariocas. A estátua feita de concreto armado e sabão foi inaugurada em 1931 e em 2007 foi eleita uma das nova sete maravilhas do mundo.

Onde: Rua Cosme Velho, 513

17. Tirar foto na estátua do Bellini
Ao visitar o Maracanã, é de lei tirar foto na estátua Bellini. Tradicional ponto de encontro dos torcedores que frequentam o estádio, fica em frente à rampa principal e é uma homenagem ao capitão da Seleção na Copa do Mundo de 1958.

Onde: Avenida Maracanã, s/n – Maracanã

18. Curtir os blocos de carnaval de rua
Há vários blocos de carnaval no Rio, eles cresceram muito nos últimos anos! Não só é o mais tradicional, o Cordão da Bola Preta, mas também o que reúne o maior número de foliões. Já que arrasta mais de um milhão de pessoas pelo Centro do Rio. Além disso, é frequentado historicamente por grandes expoentes da MPB. Por exemplo, a madrinha é a cantora Maria Rita e a porta-estandarte, a atriz Leandra Leal. Sendo assim, vale essa experiência!

19. Tomar café da manhã ou chá da tarde na Confeitaria Colombo
O primeiro lugar que indico para qualquer um que quer tomar um belo café da manhã numa confeitaria bem tradicional e histórica.
Inaugurada em 1894, a Colombo é uma das mais tradicionais do Brasil e símbolo da belle époque carioca. O cardápio atraente combina perfeitamente com a decoração art nouveau e encanta todas as gerações que passam por ali.

Onde: Rua Gonçalves Dias, 32 – Centro

20. Desfilar em uma escola de samba ou assistir a um desfile na Sapucaí
É indiscutivelmente “o maior show da terra”, o lugar que todos precisam estar ao menos uma vez na vida. Símbolo do carnaval carioca, o desfile das escolas de samba é sempre destaque no mundo todo. Assistir ao desfile das frisas ou do camarote é o que há! E desfilar não é tão difícil, basta verificar as regras de cada agremiação. Viver essa emoção de cruzar a avenida é algo incomparável, a energia é gritante de maravilhosa.

21. Happy Hour no Baixo Botafogo
A região compreende as ruas próximas à estação de metrô do bairro, como Nelson Mandela, São Clemente e Voluntários da Pátria. Tem várias opções de bares e restaurantes por ali, de todos os preços, inclusive alguns dos mais caros da cidade. O pólo gastronômico de Botafogo é muito forte.

22. Visitar a Floresta da Tijuca
Trata-se da maior floresta urbana no mundo replantada pelo homem! Oficialmente Parque Nacional da Tijuca, abriga espécies da fauna e flora brasileira originalmente vistos apenas na Mata Atlântica. São várias atrações como Cascatinha Taunay, Capela Mayrink, Vista Chinesa, Mirante Excelsior, Lago das Fadas, Barracão, Gruta de Paulo e Virgínia e o Açude da Solidão.

Onde: Estrada da Cascatinha, 850 – Floresta da Tijuca

23. Dançar forró na Feira de São Cristóvão
Oficialmente Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, o local é um pedaço da cultura nordestina em plena Zona Norte do Rio de Janeiro. São diversas atrações gastronômicas e artesanatos dessa região tão rica em cultura. Tem uma programação cultural muito diversa também e um forró bem procurado.

Onde: Campo de São Cristóvão, s/n – São Cristóvão

24. Comer esfiha no Árabe do Largo do Machado
A Rotisseria Sirio Libaneza, mais conhecida como o Árabe do Largo do Machado, fica dentro da galeria comercial à esquerda da estação de metrô. É bem famosa, você encontra uma variedade grande de culinária árabe lá é muito bem servida, porém as esfihas e os kibes viraram lendas e é de lei experimentar.

Onde: Largo do Machado, 29 – lojas 16-19 e 32-33

25. Assistir a um clássico carioca no Maracanã
Palco de grandes espetáculos e decisões esportivas, o Estádio Jornalista Mário Filho já foi o maior do mundo. Ainda carregando o apelido, a emoção de sentir a arquibancada tremer aos gritos da torcida é sensacional.

Onde: Rua Professor Eurico Rabelo, s/n – Maracanã

26. Ver uma exposição no Museu de Arte Moderna
Instalado em meio aos jardins do Aterro do Flamengo, o MAM encanta com suas fachadas envidraçadas e o projeto paisagístico de Burle Marx. Atualmente, o museu tem cerca de 15.000 obras em seu acervo, entre pinturas, esculturas e gravuras de artistas brasileiros e estrangeiros.

Onde: Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo.

27. Dar uma volta completa de bike na Lagoa Rodrigo de Freitas
Com pouco mais de 7km de extensão, a Lagoa Rodrigo de Freitas é meu lugar preferido para passear ao ar livre no Rio. Fazer esse percurso de bike é muito gostoso, mas você também pode fazer andando, correndo ou de triciclo, que alugam por lá. Há diversas opções de lazer, área para exercícios físicos, o Parque dos Patins, bares e quiosques. Ah, e tem as famosas araras que ficam soltas no Palaphita, tranquilas para filmar e tirar foto (sem encostar!).

Onde: Avenida Epitácio Pessoa e Borges de Medeiros, s/n

28. Tirar uma foto do Mirante Dona Marta
A mais de 350 metros de altura, o Dona Marta é um dos locais mais procurados do Rio. Também pudera, é a vista panorâmica mais famosa que contempla diversos cartões-postais da Cidade, como o Corcovado, Pão de Açúcar, Lagoa e a Baía de Guanabara.

Onde: Estrada Mirante Dona Marta – Cosme Velho

29. Comer pastel e beber cerveja na Mureta da Urca
Uma das tradições bem cariocas: pedir uma cerveja gelada no Bar Urca, petiscos como as deliciosas empadinhas e pasteis, e ficar contemplando aquela paisagem maravilhosa sentado na mureta em frente.

Onde: Rua Cândido Gaffrèe, 205 – Urca

30. Assistir ao nascer do sol em Grumari
Uma das mais bonitas praias do Rio, daquelas mais selvagens, por ser longe de turistas e poucos moradores. Fica próxima à Prainha onde tem muito verde e rochas, que torna tudo mais bonito. Também é frequentada por surfistas, como sua vizinha. A dica é chegar bem cedo para conseguir estacionar. Aos finais de semana fica bem cheia depois das 9h, não indico. No canto esquerdo tem uma pequena praia de nudismo, a Abricó.

Como chegar
De carro: Pela Barra da Tijuca, seguir em direção a Grumari, via avenida Estado da Guanabara.
De ônibus: Pela empresa Surf Bus, que sai do Largo do Machado e percorre a orla até a Prainha, a última parada. Ônibus especial para até 30 surfistas – com acomodação para 12 pranchões, 15 bodyboards e 20 pranchinhas – que circula das 7h às 19h e tem guias trilingues. O Surfbus tem 4 horários de saída do Largo do Machado em direção à Prainha, e 4 horários no sentido inverso (última saída da Prainha é às 17:30).

31. Ver um filme no Cine Odeon
É o mais antigo cinema de rua do Rio de Janeiro em atividade. Fica localizado na Cinelândia, uma parte do Centro que já foi dominada por salas de cinema. Reaberto recentemente, o Odeon foi inaugurado em 1926 e recebe grandes festivais como o Anima Mundi e o Festival do Rio.

Onde: Praça Floriano, 7 – Centro

32. Admirar a vista do Parque das Ruínas
Hoje um importante centro cultural em Santa Teresa, o Parque das Ruínas foi residência de Laurinda Santos Lobo, que foi importante ativista pelos direitos da mulher. O complexo arquitetônico foi um dos destaques da Belle Époque carioca, em meados de 1900 e frequentado por nomes importantes como Villa-Lobos e Tarsila do Amaral. A vista panorâmica rende fotos de diversos pontos do Rio, como a Baía de Guanabara e o Centro da Cidade.

Onde: Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa

33. Fazer um piquenique no Parque Lage
Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Parque Lage fica aos pés do Corcovado e tem um palacete que abriga a Escola de Artes Visuais. Seu extenso gramado é um cenário sempre procurado para o piquenique e lá dentro tem um restaurante para tomar um belo café da manhã.

Onde: Rua Jardim Botânico, 414

34. Curtir uma roda de samba na Pedra do Sal
O lugar onde nasceu o samba! A região era habitada por nomes como Heitor dos Prazeres e João da Baiana, precursores do ritmo mais carioca que existe. Todas as segundas, a partir das 19h, rola a tradicional roda de samba no meio da rua, no meio do povo. Que energia, hein!

Onde: Rua Argemiro Bulcão, 1 – Saúde

35. Ler no Real Gabinete Português de Leitura
O Real Gabinete abre apenas em horário comercial, foi inaugurado pela Princesa Isabel em 1887. Possui a maior coleção de obras portuguesas fora de Portugal. Também já foi cenário do filme “O Xangô de Baker Street”. Por lá você vai encontrar mais de 350.000 títulos, alguns bem raros.

Onde: Rua Luiz de Camões, 30 – Centro

36. Passar o Réveillon em Copacabana
A festa de réveillon mais famosa do Brasil fica nas areias da Praia de Copacabana, já passei 4 anos em lugares distintos e é sempre uma emoção. Reunindo anualmente milhões de pessoas, a programação inclui shows de diversos artistas e o grande espetáculo que é a queima de fogos, imperdível ter essa passagem no currículo.

Onde: Avenida Atlântica, s/n – Copacabana

37. Fazer compras no Saara
Eu torcia o nariz, vivia comparando com a 25 de Março em São Paulo, mas depois que conheci a Ju Maranhão, fazer compras no mercado mais popular do Rio a céu aberto – o Saara – Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega, nunca mais foi igual. Tem post com essa super dica no blog, veja aqui. O Saara surgiu na década de 60 como um projeto de união dos comerciantes da região. Enfim, por lá encontra-se produtos como tecidos, temperos, roupas, artesanato e muito mais, a preços de atacado e varejo.

Onde: Rua da Alfândega, s/n – Centro

38. Dançar o charme no Viaduto de Madureira
O baile charme mais tradicional do Rio é comandado pelos DJs residentes Fernandinho, Guto, Michell, Emekay e Xokolaty, e sempre rola uns convidados pra lá de especiais. Acontece todos os sábados.

Onde: Viaduto Negrão de Lima – Madureira

39. Subir ou descer a Escadaria Selarón
Cenário de filmes e clipes internacionais, tirar uma foto na famosa escada colorida de ladrilhos é de lei. Ela foi criada pelo ceramista chileno Jorge Selarón e liga a Lapa a Santa Teresa. Por isso você pode escolher descer (se chegar por Santa Teresa) ou subir, se estiver vindo pela Lapa.

Onde: Rua Joaquim Silva, 87 – Lapa

40. Assistir a um concerto no Theatro Municipal
Fundado em 1909, passou por uma intensa reforma restauradora e foi reinaugurado em 2010. Dessa forma, é considerado um dos mais belos teatros do país. Além disso, o Municipal abriga apresentações de orquestras sinfônicas, balé e diversas premiações. Fazer uma visita guiada também é fantástico.

Onde: Praça Floriano, s/n – Centro

41. Andar no Trem do Samba
Há 20 anos, todo dia 6 de dezembro, o trem sai da Central do Brasil até Oswaldo Cruz, refazendo o percurso de Paulo da Portela. Grupos, blocos e sambistas animam os 36 vagões, além de shows com grandes nomes do samba nas duas paradas.

Onde: Central do Brasil e Praça Paulo da Portela – Oswaldo Cruz

42. Caminhar na Pista Claudio Coutinho
Lugar lindo, que dá acesso a trilha do Pão de Açúcar, e leva o nome do ex-treinador do Flamengo e da Seleção Brasileira. Ideal para quem pratica exercícios físicos, para dar uma corrida, caminhada, ou simplesmente respirar em contato com a natureza. A entrada pela Praia Vermelha garante um passeio pelo costão do Pão de Açúcar e depois pela Mata Atlântica.

Onde: via Praia Vermelha, s/n – Urca

43. Namorar na Vista Chinesa
Quem assistiu à animação “Rio”, lembrará de quando a arara Blu escolheu a Vista Chinesa para passar a primeira noite com sua amada. Diferente do cinema, é mais legal ir ao local durante o dia e conferir a vista no Alto.

Onde: Estrada da Vista Chinesa – Parque Nacional da Tijuca

44. Fazer uma trilha na Pedra do Telégrafo
Localizada em Barra de Guaratiba, a 25km do Terminal Alvorada, o final da trilha tem uma das vistas mais recompensadoras do Rio. São 50 minutos de caminhada, com inclinação moderada. O ideal é pegar um mototáxi (R$ 7), por causa do começo íngreme, e depois seguir a pé. Chegando à Pedra da Bigorna, as fotos parecem arriscadas, mas há um platô sob o abismo, que engana os desavisados. Vá durante a semana, porque depois da fama das fotos no Instagram, há fila de espera de até 4 horas para fazer o famoso clique!

Onde: Rua Almirante Carlos Tinoco, 432-500 – Guaratiba

45. Comprar artesanato na Feira da Lavradio
Sou suspeita, amo esse lurga. A feira acontecer todo primeiro sábado do mês, a rua do Lavradio transforma-se na Feira do Rio Antigo. Milhares de pessoas passam por lá em busca de artesanato, antiguidades, roupas e acessórios, e música ao vivo, além de uma boa feijoada.

Onde: Rua do Lavradio – Lapa

46. Fazer um passeio de helicóptero inusitado
Passear de helicóptero pelo Rio já é algo indescritível, mas passear com a Vertical Rio é surpreendente e indicado para os corajosos!
Isso porque eles tiraram as portas dos helicópteros para oferecer uma experiência incrível com os pés pra fora, rendendo belíssimas fotos. É demais, já fui duas vezes e sigo apaixonada.

Onde: Aeroporto de Jacarepaguá, Rua D2, Hangar 09 – Av. Ayrton Senna, 2541 – Barra da Tijuca

47. Visitar o Jardim Botânico
Uma das mais belas e bem preservadas áreas verdes da cidade, o Jardim Botânico é um exemplo da diversidade da flora brasileira e estrangeira. Nele podem ser observadas cerca de 6 500 espécies (algumas ameaçadas de extinção), distribuídas por uma área de 54 hectares, ao ar livre e em estufas. A instituição abriga ainda, monumentos de valor histórico, artístico e arqueológico e a mais completa biblioteca do país especializada em botânica, com mais de 32 000 volumes e o maior herbário do Brasil, com cerca de 650 mil amostras desidratadas completamente informatizadas e disponíveis para o público na página da instituição.

Onde: R. Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico

48. Tirar uma foto no mural do Kobra na Zona Portuária
O Mural Etnias, batizado como Todos somos um, é um painel localizado no bairro da Gamboa, na Zona Central da cidade. Com 15 metros de altura e 170 metros de comprimento, foi pintado pelo artista Eduardo Kobra na fachada de um antigo armazém em virtude dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016. Um lugar lindo para apreciar.

Onde: Gambôa, Rio de Janeiro – RJ

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Blog A Cara do Rio (@thailisemonteiro) em

49. Visitar o Museu do Amanhã
Ícone da Região Portuária, o Museu do Amanhã explora possibilidades de construção do futuro. Erguido no Porto Maravilha e projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava sobre a Baía de Guanabara, foi inaugurado pela Prefeitura do Rio no dia 19 de dezembro de 2015. Âncora cultural do projeto de revitalização da Região Portuária, o museu é o símbolo mais eloquente do renascimento de uma área de cinco milhões de metros quadrados, parte da história do Rio e que enfrentava décadas de atraso e abandono.

Onde: Praça Mauá 1.

50. Curtir o primeiro sábado do mês na Fábrica Bhering
Não perca a chance de conhecer esse importante prédio histórico, também na Zona Portuária. Fundada nos anos 1930, ela foi uma das maiores fábricas de chocolate do Brasil e hoje é um centro cultural que abriga ateliês, lojas e eventos, além de ser cenário de diversas produções de moda, cinema, fotografia e TV. No Circuito Interno Bhering, que acontece sempre no primeiro sábado do mês, das 13h às 20h, o público tem acesso aos seis andares e mais de dez mil metros quadrados do prédio, passando pelos corredores com antigas máquinas de chocolate até o famoso terraço com vista panorâmica da Cidade Maravilhosa.

Onde: R. Orestes, 28 – Santo Cristo, Rio de Janeiro.

 

Fala se não é programa para o ano inteiro? Aqui ninguém fica parado e eu mal posso esperar para explorar as milhares de coisas novas que ainda não fiz por aqui.

 

Beijos da Thata

Me siga nas redes sociais ;)

Instagram: @thailisemonteiro | @acaradorio
Facebook: www.facebook.com/blogacaradorio
Twitter: @thailisecosinha
Youtube: www.youtube.com/user/acaradoriopontocom

Booking.com

Você pode gostar também

6 Comentários

  • Responder
    Jairo Rômulo França Alves da Silva
    18/07/2019 at 22:39

    Ótimas dicas!!!! Espero poder fazer cada uma delas…. Vou dar mais duas dessa cidade maravilhosa, uma que conheço bem e outra que ainda quero conhecer: praticar esporte no aterro do Flamengo (corrida, bike, skate, caminhada e tudo mais) e o aquário perto do Museu do Amanhã. Parabéns pela iniciativa. Muito útil.

    • Thata Monteiro
      Responder
      Thata Monteiro
      29/07/2019 at 12:45

      Ótimas dicas, eu adoro as duas, obrigada por me acompanhar! Beijos

  • Responder
    Israel Ondas
    08/07/2019 at 16:04

    Muito bom, excelentes dicas de passeio! Admiro muito seu amor pelo Rio!!! São tantas atrações e atividades que pode se deixar passar alguma coisa. Senti falta da escalada do pontal Tim Maia, atividade guiada que possibilita registrar lindas fotos além da vista e uma outra tbm que seria legal é uma visita o parque Madureira que tem boas opções de prática de esportes radicais com pistas de skates bem interessantes….e acabei de lembrar rsrs uma visita a praia da Joatinga e tbm a do secreto

    • Thata Monteiro
      Responder
      Thata Monteiro
      29/07/2019 at 12:42

      Que ótimas dicas! Joantiga eu adoro, os outros lugares ainda não conheço. Vou colocar na lista! Beijos

  • Responder
    Gloria de Castro
    29/06/2019 at 14:29

    Você é uma paulistana que realmente conhece o Rio de Janeiro… Como sempre você nos fornece belas dicas sobre nossa bela cidade ! Estou postando muita coisa sua no facebook, claro com sua autoria observada.

    Em contrapartida, também posto muitas coisas legais sobre São Paulo, cidade da qual gosto muito.

    Um abraço e muito obrigada por partilhar coisas boas de nossa cidade.

    • Thata Monteiro
      Responder
      Thata Monteiro
      29/07/2019 at 12:44

      Oi, Gloria, fico tão feliz em saber que me acompanha e compartilha as dicas, espero sempre te ver por aqui! Beijos e obrigada sempre 🙂

    Deixe um comentário